Diário do Pai‎ > ‎

Um exemplo

postado em 16 de abr de 2012 08:16 por Joao H. Priesnitz   [ 16 de abr de 2012 09:52 atualizado‎(s)‎ ]
Por que a ostentacao de um 'carissimo automovel' se este exemplo NUNCA teve carteira de motorista?! 
Compensando esta falta com as contas, por toda a vida em dia e um lar simples, mas digno. 
Sem empregados, mas limpo. Sem os melhores moveis e materiais, mas seguro e com um mínimo de conforto 
para acomodar a familia. Sem qualquer luxo mas sempre com comida na mesa, também para as visitas.

Qual a obrigacao de amizades de fachada ou falsas, se o querido exemplo mostrava claramente a beleza das poucas e verdadeiras?

Como sustentar vicios, ir para farras ou ficar bebendo em bares, se ele, o exemplo, nao fazia e nem sentia falta disso?

Como envergonhar-se de algum trabalho, função ou afazer, se ele demonstrava, por mais de uma vez, que o que importa está 
na honestidade de quem o faz e na aceitação da responsabilidade pelo que é feito?

Qual razão de roupas caras/chamativas e sua quantidade, se o que realmente chamava a atenção nele, vinha de dentro...?

Por que a necessidade de demonstrar conhecimentos, se este saudoso exemplo, que pronunciava varias palavras erradas 
(muito pelo sotaque e ligação com a primeira língua, o alemão), mostrava no convívio diário, e devagar..., que o respeito e a admiração 
se conquistam, pelas ações...

Por que querer ser o melhor, o maior, o mais forte ou com mais poder se, o que este singelo passageiro exemplo realizou em sua vida, 
a licao incomensuravelmente valiosa que ele conseguiu passar foi, justamente, mostrando a face oposta destas mascaras, de que elas 
nao sao necessarias/e talvez nem possiveis, para, ao encerrar a conta da vida, o saldo de amor (de tantas e tantas contas) ser positivo.





Comments